Cientistas comprovam hipnose

Cientistas comprovam a Hipnose

Por Saulo de Tarso, Correio Espirita

Agora é pra valer. Não é história de filme, a hipnose consegue paralisar membros do corpo humano. É o que afirmam pesquisadores da Universidade de Genebra, na Suíça. No estudo feito com 12 voluntários e os resultados foram publicados na revista Neuron. Os cientistas criaram condições para analisar imagens do cérebro sendo hipnotizado. Durante estudos, cientista falou por diversas vezes ao paciente em "transe" que sua mão estava pesada e que ele não conseguiria levantá-la por mais que se esforçasse.

Depois, outro especialista solicita que o paciente levante a mão para pegar algo que está no alto. Mas o paciente não consegue, por mais que tente. Os cientistas disseram que nesse momento o córtex motor direito do paciente (responsável pelos movimentos humanos), era impedido pelo sincronismo dos precuneus. Essa ação impede que o córtex execute sua função ao fazer com que o paciente recorde as frases ouvidas durante a hipnotização.

O que os cientistas comprovaram, foi atestado por Allan Kardec há 150 anos e antes deste por Mesmer, que em 1765 escreveu um livro no qual abordava a influência dos astros entre si e em corpos vivos - Kardec cita esse fato em "A Gênese", Cap. 18, item 8 - Planetarum Influxos.

Em 1779 Mesmer escreveu sobre Magnetismo Animal, (1) a conclusão da sua tese de que o organismo animal pode emitir um fluido e curar. As teses foram combatidas em Viena e por isso Mesmer mudou-se para Paris onde foi bem recebida. O povo e o próprio rei Luiz XVI aceitaram, mas o Catedrático da Faculdade de Medicina julgou o tratamento perigoso e imoral, Mesmer foi então para a Inglaterra.

Cesare Lombroso, pesquisador e cientista italiano cita na obra "Espiritismo e Mediunidade" vários casos que merecem atenção. Uma outra obra mais recente e mais atualizada, a de Alberto de Souza Rocha, "Espiritismo e Psiquismo", lançado em 1993, que comprova a parte científica da doutrina espírita.

Ainda dentro da literatura espírita, no livro "Libertação", de André Luiz, um processo de licantropia (2) através do hipnotismo. Diz o mentor Gubio que através do hipnotismo é mais velho que o mundo, lembra o caso de Nabucodonosor que se encontra na Bíblia, durante sete anos viveu como um animal. O mesmo ocorrendo com um espírito feminino que pressionada por violento remorso sentia-se como se fosse uma loba, pois quando encarnada assassinara o marido e os quatros filhos. Gubio explica a André Luiz que o hipnotismo pode ser usado pelos bons e pelos maus, todos o possuem.

O mundo gira e a ciência comprova as verdades espíritas codificadas por Allan Kardec na França. O assunto emancipação da alma provocado pela hipnose e o sono natural, que permite curas e a regressão de memória, a ciência atual está dando novos conceitos sobre o sono, aceitando a teoria espírita da emancipação da alma.

(1) Magnetismo - por Franz Anton Mesmer, médico alemão quem estudou de forma científica a teoria que certas pessoas podem irradiar um fluido especial proveniente do próprio corpo com influência nos indivíduos e nos animais.
(2) Licantropia - fenômeno pelo qual Espíritos pervertidos no crime atuam sobre antigos comparsas, encarnados ou desencarnados, fazendo-os assumir atitudes idênticas às de certos animais.

Publicado no Jornal Correio Espírita

edição 56/ Fevereiro 2010
<<Voltar